07 dezembro 2013

Estamos voltando e com força total!

Aguarde as novidades que traremos para ficarem por dentro das lutas da Juventude Blumenauense!

02 julho 2011

Congresso da UNE: reta final

O 52° Congresso da UNE faz um chamado aos estudantes brasileiros para refletirmos o papel da universidade no Brasil. Nós do movimento “Transformar o Sonho em Realidade” estamos animados em debater o futuro da nossa universidade.

Nestes últimos anos houve uma série de avanços na educação, porém ainda queremos muito mais!
O Movimento Transformar o Sonho em Realidade faz um convite aos estudantes, para intensificar o ritmo de mobilizações e construir uma profunda reforma universitária, que torne o ensino superior capaz de dar resposta ao desafio do desenvolvimento do nosso país.

Vencer essa batalha será um passo decisivo para garantirmos a universidade que queremos para os brasileiros e brasileiras!!

É isso aí militância da maior juventude organizada do Brasil, agora é reta final e concentração total. Cada detalhe, cada dose de esforço a mais, cada minuto de concentração agora valem muito e serão decisivos para atingirmos nossos objetivos, eTransformarmos Nossos Sonhos em Realidade!

Por Eriane Pacheco, diretora da UNE e Coordenadora do Coletivo Universitário da UJS

Não leve para a viajem suas dúvidas sobre o 52° Congresso da UNE. Deixe-as aqui!

Faltando poucos dias para o CONUNE é hora de acertar os últimos detalhes, arrumar a mochila e colocar o pé na estrada!

Mais de 10 mil estudantes de todo o Brasil e América Latina estão na contagem regressiva, contando os dias para colocar o pé na estrada e participar do 52º Congresso da UNE, que acontece entre os dias 13 e 17 de julho na cidade de Goiânia-GO. Sabendo disso, o EstudanteNet criou uma série especial com dicas e informações úteis para explicar tudo sobre o encontro e não deixar ninguém na mão.
O objetivo é esclarecer toda e qualquer dúvida sobre o Congresso, além de auxiliar com dicas e uma lista completa do que levar na mala, tudo isso para que você possa aproveitar o que de melhor a programação do Congresso da UNE tem para oferecer, da abertura até a plenária final.
Lembrando que para realizar um evento deste porte, meses antes a UNE e empresas parceiras começam a trabalhar na organização. Funcionários, além de diretores da entidade e voluntários trabalharam no encontro cuidando do credenciamento, comunicação, sistematização, logística, administração, alojamento, alimentação e transporte.
O que é o Congresso da UNE?
O CONUNE, como é conhecido, é o maior encontro da juventude brasileira. Durante cinco dias, os delegados e observadores terão a oportunidade de debater e trocar opiniões sobre os rumos da entidade, elegendo a nova diretoria e o presidente, que estará à frente de uma das mais importantes e tradicionais organizações da sociedade civil brasileira no próximo biênio. O congresso é também uma grande celebração da diversidade, coroado com atividades culturais, intervenções artísticas, trocas de costumes e tradições.
Onde será o CONUNE?
A cidade de Goiânia, situada no coração do Brasil, será palco do 52ª Congresso da UNE. A cidade que já recebeu outras edições do encontro estudantil,é considerada uma das mais belas do país, centenas de praças com uma grande variedade de fauna e flora fazem parte do cenário com ruas limpas, arborizadas e iluminadas.
As atividades do encontro serão concentradas em torno da tradicional Praça Universitária da capital goiana, principalmente na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) e na Universidade Federal de Goiás (UFG). Construída em 1933 pelo arquiteto Attílio Corrêa Lima, o local é considerado um dos melhores lugares para contemplar o pôr-do-sol, além de ser bem arborizada e apresentar um museu de esculturas ao ar livre, com bares e bibliotecas ao redor.
Como faço a minha inscrição?
Através deste link do site da UNE é possível realizar a sua inscrição. Basta preencher corretamente todo o formulário, imprimir o boleto gerado e efetuar o pagamento em qualquer agência bancária. Isso já garante a participação. Mas vale lembrar: guarde o comprovante de pagamento, pois o documento será solicitado quando você for retirar o seu crachá, no ato do credenciamento, em Goiânia.

Qual o valor?
Quem deixar para a primeira semana de julho o valor será R$75,00 para delegados e R$150,00 para observadores. Após o dia 08 de julho as inscrições pela internet serão encerradas.
A inscrição inclui alojamento, alimentação (café da manhã, almoço e jantar) e acesso a todos os debates, seminários e shows. Caso necessário, o transporte para a locomoção da programação do evento estará garantido.
É possível pagar a inscrição no ato do credenciamento em dinheiro, diretamente no guichê, em Goiânia. Os valores alteram para R$100,00 - delegados e R$200,00 – observadores.
Qual a diferença entre delegado e observador?
Delegado é o participante que foi eleito em sua faculdade pelos estudantes através do DCE ou comissão eleitoral, possuindo direito de voto nas plenárias. Observador é o participante que irá apenas assistir ao Congresso.

Como funciona o credenciamento?
O primeiro passo ao chegar em Goiânia é se dirigir ao credenciamento e apresentar o boleto de pagamento. De lá, o estudante já sai com seu crachá, que dará acesso livre a todas as atividades do CONUNE. Os goianienses que participarem do Congresso pagam os mesmos valores e tem exatamente, os mesmos direitos.
Como será distribuída a alimentação?
A alimentação é garantida através do Restaurante Universitário que servirá mais de 30 mil refeições entre café da manhã, almoço e jantar. É importante ressaltar que no ato do credenciamento, os estudantes recebem um voucher com os tickets de alimentação. Exclusivamente através da entrega deste ticket será servida à refeição, portanto guarde-os com cuidado.
Aonde serão os alojamentos?
Os alojamentos são salas de aula concedidas pelas universidades, por isso é importante levar uma barraca para manter a sua individualidade e a organização do ambiente. Como mais de 10 mil estudantes participaram do encontro, cada alojamento terá um prefeito que ficará responsável por todo e qualquer assunto referente à área.
Sem dúvidas é um dos melhores lugares para interagir e conhecer outros participantes. É importante dizer que a UNE, apesar de disponibilizar seguranças em todos os alojamentos, não se responsabiliza por perda ou furto de objetos pessoais. Portanto, leve também um cadeado para trancar sua mala ou mochila. Mantenha sua bolsa fechada e fique atento, pois milhares de pessoas circulam nos alojamentos diariamente.

Como encontro uma caravana?
O Movimento Transformar o Sonho em Realidade está organizando a caravana de diversas universidades do estado e você pode entrar em contato para garantir o seu lugar.
Uma boa forma de mobilizar é utilizar as redes sociais da UNE, que agrega estudantes de diversas localidades do país. Além de fazer amizades você pode descolar um lugar no ônibus!
Como será a programação do Congresso?
A programação do CONUNE inclui debates, painéis, plenárias, atos públicos, passeatas e diversas atividades culturais.
Especialistas de diversas áreas são convidados para participar dos debates que acontecem durante o Congresso e escolhe com muito rigor as atrações musicais que irão agitar a noite dos estudantes.
Neste ano, a programação do 52º Congresso da UNE inclui ainda o 2º Encontro Nacional de ProUnistas. Com o aumento de adesão ao programa e a crescente democratização do ensino superior por meio de outras políticas de acesso, o movimento estudantil quer aproveitar a reunião das suas principais lideranças para debater com os estudantes de todo o país as demandas, pontos positivos, críticas e sugestões.
Posso ajudar como voluntário?
A UNE está selecionando voluntários para auxiliar na área da comunicação e realizar a cobertura das diferentes atividades promovidas durante o 52º CONUNE. Para se candidatar, é necessário enviar um email para imprensa@une.org.br indicando nome, telefone, instituição de ensino, anexando uma cópia do currículo.
Qual é a média de temperatura em Goiânia nesta época do ano?
O clima em Goiânia é tropical semi-úmido. A temperatura média no mês considerado o mais frio, julho, é de 13,2°C (mínima) e 29,0°C (máxima).
Como me localizar por lá?
Aproveite as facilidades da internet e realize um passeio virtual pelos arredores da Praça Universitária de Goiânia. Acesse o mapa

O que levar?
Preparamos uma lista com objetos importantes que não podem faltar na sua bagagem.
- Barraca
- Colchonete e travesseiro
- Kit de primeiros socorros (com remédios que você utiliza normalmente)
- Capa de chuva
- Cantil ou squeeze para água
- Sacos e sacolas plásticas (para lixo e para guardar roupas e calçados sujos)
- Fósforos e um isqueiro
- Filtro solar
- Cadeados pequenos (para a barraca e a mochila)
- Caneca de plástico
- Shampoo
- Condicionador
- Sabonete e esponja
- Pasta de dente
- Escova de dente
- Fio dental
- Pente ou escova de cabelo
- Toalha de banho
- Toalhinha pequena
- Papel higiênico
- Absorventes
- Elásticos de cabelo
- Um pouco de sabão em pó ou um pedaço de sabão em barra
- Leve roupas apropriadas para o inverno.
- Saco de dormir
- Isolante térmico, um pedaço de plástico de bolinhas ou folhas de jornal para impedir que a umidade que vem do solo atinja a sua "cama" e penetre pelas costas
- Máquina fotográfica
- Caderninho de anotações e caneta
- Repelente de insetos
- Óculos de sol
- Livro
- Baralho (para o bom e velho truco)
Serviço:
O quê? 52º Congresso da UNE
Quando? De 13 a 17 de julho
Onde? Goiânia – GO
Quanto? Custo para delegados e suplentes: R$ 75,00 (até 08 de julho) / R$ 100,00 (no Congresso). Custo para observadores: R$ 150 (mês de julho) / R$ 200,00 (no Congresso).
Twitter: @sonhorealidade

17 março 2010

ME e profissionais da saúde protestam contra Ato Médico em SC







Manifestações por todo o país marcaram o Dia Nacional de Luta Contra o Ato Médico. Em Chapecó, Santa Catarina, a manifestação contou com entidades estudantis.

Trezentos e 40 mil médicos querem exclusividade para exercer atos privativos de 3 milhões de profissionais da saúde no território nacional. Para protestar contra aprovação deste projeto, os profissionais promovem mobilização em Chapecó na terça-feira, 9. A iniciativa acompanha manifestações idênticas em todo o país e marca a passagem do Dia Nacional de Luta Contra o Ato Médico.

O Projeto de Lei do Senado Nº 268/2002 (PLC nº 7.703-C/2006), que institui o Ato Médico, já sofreu algumas modificações ao longo de sua tramitação no Congresso Nacional, mas ainda condiciona à autorização do médico o acesso aos serviços de saúde e estabelece uma hierarquia entre a medicina e as demais profissões da área.

Em Santa Catarina o ato público dos Conselhos Profissionais da Saúde do Estado foi realizado em Chapecó, Lages e Florianópolis. Em Chapecó, a manifestação aconteceu na Praça Coronel Bertaso.

A manifestação pela rejeição do chamado “PL do Ato Médico” contou com a presença de profissionais de saúde, da União Nacional dos Estudantes (UNE), União Catarinense dos Estudantes (UCE), DCE Unochapecó e Centros Acadêmicos.

O projeto que tramita no Senado Federal é “extremamente prejudicial à população”, condena a fisioterapeuta de Chapecó Tatiana Sexto. Ela explica que o objetivo do evento “é defender a dignidade e a autonomia das profissões da saúde”, e apenas com a atuação de uma equipe multidisciplinar de saúde, é possível fazer diagnóstico, prescrição e tratamento adequados aos problemas que comprometem a saúde da população.

No entanto, contrariando esse princípio básico, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto atendendo pedido do Conselho Federal de Medicina. O PL mostra que os médicos querem a exclusividade de decidir “o que é bom para a sociedade, mas esquecem de dizer que as consultas médicas duram em média 5 minutos”. Tatiana enfatiza também que os profissionais da medicina não mencionam que os médicos sozinhos “precisariam estudar mais 50 anos para adquirir as habilidades e competências dos profissionais da saúde”.

A fisioterapeuta observa que com essa atitude o Conselho Federal de Medicina “coloca em risco a saúde da população e engessa o desenvolvimento das profissões da saúde”, ao ilustrar que a sociedade “precisa de profissões da saúde fortes e autônomas”. A profissional lamenta e alerta que, caso seja aprovado, o projeto representará um retrocesso para a saúde, prejudicando a autonomia das outras 13 profissões da área e impedirá, ainda, a organização de especialidades multiprofissionais em saúde.


Por Dérique Hohn, em colaboração para o EstudanteNet www.une.org.br

Entenda o que é o Ato Médico e o PL

8 de Março,Uma luta de todos e todas...


Maria Elisa Iwaya Presidenta da UJS Joinville

Tratada por muitos setores da esquerda (e da direita) como uma questão menor, a luta pela emancipação feminina tem ganhado espaço, por entender que a construção de "um novo mundo possível", soberano, igualitário e socialista passa pela ampla participação das mulheres dentro dos espaços de poder, dos cargos de chefia e do avanço em uma agenda feminista. Que paute discussões de gênero trazendo a tona questões que envolvem o direito ao corpo da mulher, o combate aos (des) usos que a mídia faz deste, da autodeterminação, a não criminalização do aborto, ao trabalho digno – e não subempregos, como ainda acontecem em muitos casos, a não violência, o acesso a licença maternidade e a creches,entre tantos outros.

E isto não significa apenas cumprir metas de percentuais de mulheres dentro de partidos políticos ou empresas, significa garantir que nossas pautas tenham visibilidade e concretizem-se por meio de luta cotidiana, contra o machismo, o sexismo, a homofobia e a violação dos direitos humanos, em uma perspectiva de equidade de poder entre os sexos, e não de disputa.

O sistema capitalista incentiva e aproveita-se das diferenças biológicas para inculcar em homens e mulheres papéis sociais distintos, determinando como devem agir e perpetuando as desigualdades, de forma a naturalizarmos a questão que - como já tratada por inúmera/os autoras/es - é construída sócio e historicamente, e não determina nem é determinada pelo sexo biológico.

O aumento de mulheres nas universidades possibilitou que esta discussão chegasse à academia a ponto de hoje os estudos de gênero terem seu espaço consolidado, saindo do "gueto", a que estavam restritos até (aproximadamente) a década de 1990. A União da Juventude Socialista – UJS, por sua grande inserção no meio acadêmico, não pode deixar de estar à frente desta luta, colocando-se como protagonista, e atuando junto com a União Brasileira de Mulheres - UBM na defesa e divulgação da Lei Maria da Penha, (Lei nº. 11.340/06), que visa o combate da violência contra as mulheres, pela descriminalização do Aborto, que é uma das principais causas de morte de mulheres jovens em nosso país, e pelo combate a todos os tipos de preconceito - de classe, gênero e etnia.

É importante ressaltar, que esta luta só será possível com a participação e envolvimento de todas/os e com o empenho na educação de crianças e jovens para uma atuação em defesa da igualdade de gênero e do fim da homofobia. A UJS lançou material para a campanha e participa de várias atividades no país inteiro neste oito de Março. Para que este não seja apenas mais um dia de incentivo ao consumismo e entrega de rosas as mulheres em lojas, mas um dia de aprofundamento do debate, que completa cem anos e ainda exige reflexão, diálogo e práticas em favor das mudanças.

publicado em A Notícia:

http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/home.jsp?localizador=A+Noticia/A+Noticia/Leitor-